Rodas da Paz participa de vistoria técnica do Projeto Mobilidade Ativa

Rodas da Paz participa de vistoria técnica do Projeto Mobilidade Ativa

No último sábado a Rodas da Paz esteve em Águas Claras participando da vistoria técnica do Projeto Mobilidade Ativa no entorno das estações de metrô.

O projeto, de iniciativa da Secretaria de Mobilidade-SEMOB e Secretaria de Gestão do Território e Habitação-SEGETH, visa a integração dos diferentes modos de transporte, priorizando o incentivo ao uso do transporte coletivo.

A vistoria teve como foco analisar os locais que passarão pela sinalização viária e que contarão com ciclofaixas e zonas 30. Além da Rodas da Paz, também estiveram presentes representantes da SEGETH, SEMOB, Pedal Noturno e Associação de Moradores e Amigos de Águas Claras.

Para Anamaria de Aragão, Diretora de Mobilidade da SEGETH, a vistoria concretizou um espaço importante de diálogo com a comunidade. “A participação da Associação foi um ponto fundamental pois possibilitou dialogarmos não só com os movimentos organizados de ciclistas, mas também com a população local. A própria Associação entendeu a importância do projeto para solucionar os problemas de mobilidade em Águas Claras”, afirmou a Anamaria.

Ao final da vistoria a Associação sugeriu ao projeto que se façam fiações subterrâneas e a Rodas da Paz deixou como sugestão a sinalização adequada dos cruzamentos.

Os participantes consideraram a vistoria extremamente positiva, pois além do levantamentos dos dados técnicos, permitiu que a população conhecesse melhor o projeto.

20150810105206 20150810105206 (2)20150810105206 (1) Vistoria é acompanhada por membros de diversos  movimentosVistoria foi acompanhada por membros de diversos movimentos.

2 comments

Busquei o projeto e não entendi porque a quadra 301 em Águas Claras Norte foi excluída. Essa área, que não está tão próxima à estação Arniqueiras se beneficiaria com a ciclovia até o metrô, mesmo que ali não possa ser implantada uma via 30. Além disso, seria uma ótima forma de conectar os novos trechos à ciclovia da EPVP, criando uma MALHA cicloviária, não somente trechos esparsos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.