Porque as bicicletas foram excluídas do plano de mobilidade do III EMDS?

Porque as bicicletas foram excluídas do plano de mobilidade do III EMDS?

Acontece em Brasília, de 7 a 8 de abril, o III Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável, organizado pela Frente Nacional dos Prefeitos. O curioso é que ao mesmo tempo que as prefeituras vem investindo bastante em estrutura cicloviária, a bicicleta ficou de fora do plano de mobilidade desse evento, e os ciclistas tiveram que se virar para deixar suas bicicletas estacionadas.

A Rodas da Paz enviou o comunicado abaixo para a organização e obteve a explicação reproduzida ao final desta nota. Os responsáveis pelo evento se comprometeram a fornecer um bicicletário com a capacidade para 30 bicicletas. Este ficará em local coberto e seguro dentro do Centro de Convenções e os seguranças serão orientados a acolher os ciclistas.

Prezados organizadores do IIIEMDS,

A ONG Rodas da Paz, organização apartidária e sem fins lucrativos, foi instituída em 2003 com o objetivo de reagir à violência e ao crescente número de acidentes e de mortes no trânsito do Distrito Federal. Desde então, promove ações educativas para a conscientização em prol de um trânsito seguro para todos, com especial atenção para os usuários da bicicleta.

O uso de bicicletas como meio de transporte é uma tendência observada no mundo e tem se desenvolvido enormemente também no Brasil. Além de ser uma alternativa barata e rápida de locomoção, as bicicletas são sustentáveis: não poluem, são econômicas e ajudam a evitar congestionamentos. A bicicleta é, sem sombra de dúvidas, um dos instrumentos capaz de promover uma mobilidade mais sustentável em nossas cidades.

Dentro desse contexto, é alarmante o fato de que participantes do III EMDS que optaram pelo deslocamento sustentável por meio da bicicleta tenham sido barrados na entrada do III EMDS. Simplesmente não há local para o estacionamento seguro de bicicletas e os seguranças não estão treinados para oferecer alternativa aos participantes que utilizam a bicicleta. Mais do que isso, nos preocupa que o plano de mobilidade do evento tenha negligenciado completamente o uso da bicicleta como modal de transporte,apesar de todas as suas conhecidas vantagens em questão de sustentabilidade.

Essa falha gravíssima, se não corrigida, coloca em xeque a legitimidade de um evento que pretende discutir e promover práticas sustentáveis nos municípios do Brasil.

Nesse sentido, sugerimos que a organização reveja urgentemente essa política de forma que nos próximos dias haja uma solução, mesmo que provisória, para esta situação. Pode-se facilmente:

– Reservar um local para estacionamento de bicicletas na entrada do evento e com visibilidade ampla;
– Orientar seguranças, acolhendo os participantes que fizeram a opção pelo deslocamento sustentável até o local do evento;
– E divulgar amplamente a possibilidade de se ir ao III EMDS por meio da bicicleta.
 
Sugerimos ainda rever, junto aos idealizadores do plano, a inclusão ampla das formas de mobilidade sustentável não motorizadas nos planos dos próximos eventos.

Certo da compreensão da equipe do III EDMS, agradeço a atenção dispensada.
Cordialmente,

Jonas Bertucci

Presidente
Rodas da Paz

emds

 

emds2

Em resposta à nota da Rodas da Paz, os organizadores do III EMDS justificaram que a instalação de uma estrutura física na frente do Centro de Convenções se inviabilizou por complicações logísticas e de custo, além de outras dificuldades. A explicação se encontra a seguir:

Prezado Jonas, boa tarde!

Conforme conversa telefônica, seguem tópicos importantes em resposta à Nota da ONG Rodas da Paz a respeito do plano de Mobilidade do evento.

1- Em parceria com a NTU – Associação Nacional das empresas de transportes Urbanos, foi elaborado um Plano de Mobilidade para o III EMDS (em anexo). À partir da página 20, item 4.2, estão as ações para bicicletas pretendidas para o evento. Mas, infelizmente, por questões de logística, custo e dificuldade de qualquer ação ou estrutura física na frente do Centro de Convenções, não foi possível executá-las, portanto preferimos não divulgar nenhuma ação que tivéssemos dificuldade em executar.

2- Para isso, sabendo da dificuldade encontrada hoje 07/04 pelos ciclistas, serão tomadas as seguintes ações:

– o III EMDS disponibilizará um bicicletário dentro do centro de convenções, coberto, seguro e com espaço para 30 bicicletas;

– todos os seguranças estarão pautados a orientar os usuários de bicicletas a entrarem no evento com sua bike e estacionarem no ponto específico;

– divulgar no site oficial do evento assim como em todas as redes sociais que o III EMDS disponibilizará estacionamento seguro para bikes e com toda receptividade que um evento desse porte deve tratar as bikes, com a ajuda da Maia Terra, reconhecida e ativa defensora das bikes em Brasília.

[…] Desde já agradeço imensamente toda sua atenção e pedimos desculpas por qualquer transtorno aos ciclistas.

Atenciosamente,

Marcelo Laitano – Assessor FNP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.