“Em crimes no trânsito, o responsável é quem mata”

“Em crimes no trânsito, o responsável é quem mata”

29 de Outubro de 2021

A Rodas da Paz recebeu com consternação a notícia dos atropelamentos de Gilson da Silva, de 36 anos, e José Maria Moreira Filho, 58 anos. Até o momento, as investigações no caso de José Maria, divulgadas na imprensa, indicam que a motorista que o atropelou estava sob efeitos de forte medicação e que não deveria estar dirigindo. No caso de Gilson, conforme informações também noticiadas pela imprensa, a advogada do motorista teria manifestado que a vítima “estava no lugar errado, na hora errada”. Gilson pedalava a caminho de seu trabalho em uma padaria. O atropelador se recusou a fazer o teste do bafômetro solicitado pelos policiais que estavam no local e perceberam sinais de embriaguez.
Rodas da Paz repudia qualquer manifestação que transfira a culpa para as vítimas de trânsito e se coloca à disposição das famílias dos senhores Gilson da Silva e de José Maria Moreira Filho, para juntos buscarmos os meios para alcançar a justiça para esses eventos fatais.
Ao defender que sejam resguardados o direito à ampla defesa e ao contraditório das pessoas que atropelaram os ciclistas, a Rodas da Paz espera, caso se confirme negligência, imperícia ou imprudência no decorrer do processo de investigação, que os investigados sejam condenados na forma da lei, sem qualquer afrouxamento.

Os dois casos serão seguidos de perto e os detalhes divulgados pela Rodas da Paz, assim que recebidos. Sabendo que não há decisão judicial que traga de volta a vida das duas vítimas, buscamos o cumprimento da lei, visando justiça restaurativa. Seguiremos na busca incansável de que nenhuma vida se perca na violência do trânsito de Brasília.