Desafio Intermodal – Brasília 2013

Desafio Intermodal – Brasília 2013

Foi realizada no dia 23 de setembro a quinta edição do Desafio Intermodal de Brasília. O Desafio ocorre em várias cidades do Brasil, sempre em uma data próxima ao dia mundial sem carro e se propõe a avaliar a eficiência de diversos meios de transporte num trajeto tradicional da cidade. A proposta é avaliar não apenas o tempo gasto para se chegar ao destino final, mas também o custo monetário e a emissão de gás carbônico. Por isso, não basta chegar em primeiro lugar: o impacto ambiental e o peso do transporte no orçamento no final do mês também contam.

Este ano, 13 voluntários saíram no mesmo horário (7:57:20) da Qe 07 do Guará I até o Museu Nacional, num percurso que variou de 13 a 15 km, de acordo com o trajeto escolhido. Foram 10 modalidades de deslocamento avaliadas, incluindo deslocamentos mistos: Carro, Taxi, Ônibus, Metrô, Bicicleta Mountain Bike, Bicicleta Speed, Bicicleta Fixa, Bicicleta Urbana + Metrô, deslocamento a pé (caminhada) e corrida leve1.

1 O voluntário que viria de Moto, uma importante modalidade a ser avaliada, não pode comparecer por problemas de saúde.

Os “desafiantes”

Desafio Intermodal 2013 Brasília DF

O percurso

Percurso Desafio Intermodal 2013 Brasília DF

Bicicleta foi o meio de transporte mais eficiente no Desafio Intermodal de Brasília

Roberto Ramos, Técnico em Radiologia, 31 anos, fez o percurso em 21 minutos e 50 segundos, tendo sido o primeiro participante a chegar, utilizando uma bicicleta do tipo Mountain Bike. Roberto fez o caminho passando pelo parque da cidade e reclamou da falta de estrutura cicloviária e de campanhas educativas.

Menos de dois minutos depois, Raphael Dorneles, Secretário Executivo da Rodas da Paz, chegou conduzido por um Táxi, desembolsando R$33,00 (pago pela organização do evento). Raphael explicou que teve sorte por ter avistado um taxi vazio passando no momento da saída. Assim, não precisou procurar um ponto nem ligar para pedir um táxi. O táxi chegou praticamente junto com o carro, conduzido pelo pesquisador Sady Fauth e a bicicleta fixa, guiada pelo estudante Lucas Souza, com pouco mais de 1 minuto de diferença.

A partir de então, os demais ciclistas foram chegando, com mais uma bicicleta fixa, conduzida por Mateus Silva, duas bicicletas esportivas do tipo Speed (Phillippe Thibault e Lucas Vieira), e uma mountain bike, guiada por Caroline Almeida). As bicicletas, independente do tipo, foram mais eficientes que todas as alternativas de transporte público.

O tempo do deslocamento misto Bicicleta Urbana e Metrô, feito por Nairara Lima, de 39 minutos e 12 segundos, indica também que a bicicleta pode ajudar a poupar o tempo de quem utiliza o transporte público. Apesar do metrô estar relativamente cheio, Nairara pode entrar no último vagão do primeiro trem que passou, tendo sido ajudada pelos demais passageiros, que abriram espaço para que entrasse com a bicicleta (e já haviam duas bicicletas de outros passageiros).

De ônibus, Pedro Piccolo, chegou 5 minutos depois da combinação bicicleta-metrô. Pedro conseguiu um assento no ônibus e veio lendo o jornal do dia, porém, reclamou do calor intenso e do fato do ônibus balançar exageradamente. Anderson Paz, que fez o trajeto de metrô (tendo que caminhar a até a estação), chegou mais de 11 minutos depois do ônibus.

Os participantes que fizeram o percurso a pé (corrida leve e caminhada), foram os que tomaram mais tempo e tiveram mais dificuldades. Sem opções de deslocamento seguro, tiveram várias dificuldades para atravessar vias,criticando a falta de sinalização e tendo que dar muitas voltas e até seguir pelo canto das ruas que não tinham calçadas ou que estavam danificadas.

Um dos participantes que fez o percurso a pé, o corretor de seguros Wesley Moura, acabou torcendo o tornozelo devido a uma calçada irregular e ao final do evento teve que ir ao médico fazer uma radiografia. Apesar de este ser um trajeto muito longo para ser feito a pé todos os dias, os participantes afirmaram que as condições para se fazer pequenos trechos são as mesmas.

Veja abaixo a tabela com os resultados iniciais, classificados pelo tempo gasto no percurso.

Resultados Desafio Intermodal 2013 Brasília DF

Desafio Intermodal 2013 - Brasília - DF

Desafio Intermodal 2013 Brasília - DF
Roberto Ramos fez o percurso de bicicleta em 21m30s e foi o primeiro participante a chegar.

Critérios de avaliação

Se levarmos em conta fatores como a emissão de monóxido de carbono por passageiro, a emissão de ruídos e o custo financeiro da viagem, pode-se verificar que a liderança da bicicleta como meio mais eficiente vai muito além do tempo de deslocamento, tendo diversos benefícios coletivos.

Embora tenham sido mais lentos, o ônibus e o metrô também ganham do carro e do taxi nos critérios de sustentabilidade ambiental e custo social, já que são mais baratos e transportam muito mais passageiros, ajudando também a evitar congestionamentos.

Observações

Confirma-se, pelos resultados do Desafio Intermodal, que há uma inversão de prioridades no investimento dos recursos públicos, com maiores gastos nos meios menos eficientes.

Apesar de praticamente não haver estrutura cicloviária no trajeto e de grande parte dos motoristas não conhecer as regras em relação à bicicleta como meio de transporte, esta se mostrou uma alternativa extremamente eficiente e viável. Nesse sentido, o uso da bicicleta deveria ser incentivado e estimulado por meio de políticas públicas de ampla dimensão.

O custo baixo de implementação de estrutura cicloviária, a praticidade, inclusive sendo possível ser associada ao transporte público, a maior liberdade para escolha de caminhos alternativos, sem emitir poluentes, o bem estar proporcionado indicam que a qualidade de vida na cidade pode melhorar consideravelmente com o planejamento adequado e a valorização da bicicleta na agenda política atual.

Vale considerar que uma atuação desse tipo, visando aumentar a segurança de todos, requer medidas como a redução dos limites de velocidade e o aumento da fiscalização. Especial atenção deve ser dada aos pedestres, pois antes de condutores, todos somos pedestres.

Para conferir todas as fotos do Desafio Intermodal 2013, visite nosso álbum de fotos no Flickr.

Fotos: Antonio Luis Silva Santos, Sabrina Mendes e Rodas da Paz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.