Cine Bike – Festival Internacional de Cinema e Mobilidade Urbana

Cine Bike – Festival Internacional de Cinema e Mobilidade Urbana

Cine Bike – Festival Internacional de Cinema e Mobilidade Urbana

Pela primeira vez, o Brasil é a sede do Cine Bike – Festival de Cinema e Mobilidade Urbana. O Festival se inspira em eventos realizados anualmente em cidades como Nova Iorque, Tóquio, Xangai e Montevideo.

Com o patrocínio do Banco do Brasil, de 19 a 31 de julho, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) em Brasília, acontecerá o Cine Bike, uma produção da Objetos Sim Projetos Culturais, com o apoio de Rodas da Paz, Embaixadas da França, Suécia, Itália, Países Baixos, Portugal e Detran-DF. Com todas as atividades gratuitas, inclusive os filmes.

A abertura do Cine Bike será nesta terça-feira, 19 de julho, às 19h30, com a exibição de “O garoto e a bicicleta”, primeiro filme dirigido por Ridley Scott em 1965 (com o irmão Tom Scott no elenco) e da produção inédita portuguesa “A alma de um ciclista”, dirigida por Nuno Tavares.

Cinema, mostra virtual, oficinas, debates, passeio e várias atividades educativas acontecerão até o final de julho. A ideia é propor a reflexão e a tomada de consciência ambiental em nome da sustentabilidade, investindo na educação, na informação e no divertimento.

Ao longo de duas semanas, serão exibidos filmes inéditos sobre mobilidade urbana realizados por diretores independentes de várias partes do mundo, clássicos do cinema que têm a bicicleta como um elemento relevante da narrativa, ficções, animações e títulos especialmente selecionados para o público infantil.

Grande parte das atividades acontecerá ao ar livre, fazendo um convite a pessoas de todas as idades. Estão na programação exibições em telão especialmente montado para o evento nos jardins do CCBB e numa tela de LED dedicada à programação infantil; passeio ciclístico contando com o apoio do Detran-DF; atividades educativas para crianças (como aprender a andar de bicicleta, por exemplo); área para food-bikes e várias outras ações.

E ainda palestras com nomes de ponta do pensamento sobre mobilidade urbana no Brasil e em Brasília, oficinas de manutenção básica para pequenos consertos de bicicletas, lançamento de livro, painel de debates e muito mais. Um grande evento de cinema, mas também um fórum de discussão, tendo a bicicleta como protagonista, dentro e fora da tela. A curadoria é do professor e crítico de cinema Sérgio Moriconi.

Cine Bike

Pela tela do Cine Bike será possível assistir a filmes produzidos na França, Holanda, Portugal, Grã-Bretanha, Suécia, Itália, Alemanha e Brasil, em diferentes épocas do século XX e XXI. São títulos como “Carrossel da Esperança”, de 1949, comédia escrita e protagonizada por Jacques Tati; o premiado holandês “Porque pedalamos”; a célebre animação As Bicicletas de Belleville; o clássico italiano “Ladrões de Bicicleta”, de Vittorio de Sica; a produção inédita portuguesa “A alma de um ciclista”, de Nuno Tavares; e o sueco “Bikes vs Carros”, de Fredrik Gertten.

Também integram a programação a comédia francesa “Pânico na cidade”, de Yann Le Quellec; o curioso “Velotopia”, do francês Erik Fretel; o histórico “Meu segredo italiano”, do italiano Oren Jacoby, e a produção alemã “O quadro invisível”, de Cynthia Beatt, além de “A Rainha bicicleta”, de Laurent Védrine,  o brasileiro “A volta em Minas”, a produção brasiliense “No rastro das cargueiras”, dentre muitos outros.

Entre os curtas, destaque para a produção cubana “As bicicletas de Havana” (filme gentilmente cedido pela Kauri Multimedia); o delicioso “Os pivetes”, primeiro filme dirigido por François Truffaut; o norte-americano “Todos os corpos na Bike”, tratando de inclusão; o holandês “Mama Agatha” e o clássico de Jacques Tati, “Escola de carteiros”. As exibições terão entrada franca, mediante reserva de ingresso.

No primeiro final de semana do festival, atividades ao ar livre voltadas para crianças e adultos ensinarão a andar de bicicleta, fazer pequenos consertos e melhorar as bikes, além de oferecer dicas sobre pedalar em segurança, com participação de representantes do Detran-DF e do projeto Bike Anjo. Também haverá o lançamento do livro infantil “Pedalar é suave”, uma iniciativa da Rodas da Paz, escrito por Josi Paz, inspirado na história do ciclista, sociólogo e ativista Raul Aragão, voluntário da Rodas da Paz, que foi atropelado e morto, em 2017, na L2 Norte, quando voltava da Universidade de Brasília.

Nos dias 21, 27 e 28, os ‘Encontros Cine Bike’ vão reunir especialistas e usuários de bicicleta para debater sobre “Os avanços dos planos de mobilidade urbana no Brasil”, “A bicicleta como meio de locomoção e liberdade para pessoas com deficiência” e “Ruas e cidades humanizadas – Slowmovement”. Estarão reunidos representantes de entidades relevantes para a área, como a União dos Ciclistas do Brasil e a Rodas da Paz, grande parceira do festival.

De 29 a 31 de julho, o Cine Bike promove a Mostra online, com exibição de cinco títulos selecionados da programação. Os filmes serão disponibilizados para acesso no site do evento, através da plataforma VIMEO no site do festival: www.cinebikebrasil.com.br. Cada título ficará acessível durante 24 horas.

A intenção é ampliar ainda mais o alcance e a mensagem do festival. Estão no programa os longas “A alma de um ciclista”, de Nuno Tavares (Portugal, 2021) e “Bike vs Carros”, de Fredrikn Gertten (Suécia, 2015), e os curtas-metragens “O porta-voz” (Austrália, 2013), “Todos os corpos na bike” (EUA, 2020) e “Explorando as ruas de Estocolmo” (Suécia, 2014).

E no dia 30 de julho, fechando a programação presencial do festival, ciclistas de todas as idades serão convidados a participar de um Passeio ciclístico, saindo (às 9h) e retornando ao CCBB Brasília, cumprindo um total de cerca de seis quilômetros de percurso. O passeio contará com o apoio do Detran e, ao final, os participantes serão convidados a permanecer no CCBB para uma grande festa junina.

Para saber mais: www.cinebikebrasil.com.br