Arquivo da categoria: políticas públicas

GDF apresenta seu plano de ciclomobilidade e inaugura estação de bicicletas na UnB

O GDF lançou hoje (9/8) na Universidade de Brasília o seu plano de ciclomobilidade, parte integrante do programa de mobilidade urbana ”Circula Brasília” lançado em 2015.

De acordo com o governador Rodrigo Rollemberg, o programa tem “compromisso com a qualidade de vida da população de Brasília” e é um “programa de Estado, que prioriza o transporte coletivo e o não motorizado de forma integrada”. Dentro do pilar da mobilidade ativa, o principal ponto é superar a descontinuidade da malha cicloviária, composta atualmente por 420 km de extensão. Hoje são 70 km em obras e, até dezembro de 2018, mais 148 km devem estar licitados. A meta é o DF contar com 1200 km de ciclovia até 2023.

No lançamento, foi inaugurada uma das cinco novas estações de bicicletas da UnB.

Outro ponto do plano é proporcionar a integração com outros meios de transporte, especialmente os ônibus. De acordo com GDF, até fevereiro de 2018 dez terminais de ônibus estarão equipados com bicicletários e pontos de reparos. A manutenção dessas estruturas será de responsabilidade das empresas de ônibus.

Visando a integração com o metrô, o GDF irá ampliar as estações de bicicletas compartilhadas atendendo agora as cidades de Ceilândia, Taguatinga e Samambaia. O plano de ciclomobilidade é audacioso. Segundo o próprio Governador, Rodrigo Rollemberg, a intenção é mudar o cenário da mobilidade ativa e do respeito ao ciclista no DF. Veja o vídeo abaixo gravado no dia do evento pela Rodas da Paz: Quem se locomove de bike em Brasília verá o plano como a solução para grande parte das suas aflições. Porém, com apenas mais um ano de governo, será que ele sairá do papel?

Nos primeiros três anos muitos esforços na área de mobilidade por bicicleta foram feitos, como o mapeamento colaborativo das ciclovias existentes, o projeto Mobilidade Ativa, a licitação da ciclovia da EPTG e ótimas campanhas educativas. Mas tudo isso parece pequeno diante do aumento da tarifa de ônibus, que custa atualmente R$5,00 entre as cidades.

O exorbitante Trevo de Triagem Norte e os viadutos da EPIG ajudam a mostrar que a prioridade continua sendo o uso do automóvel. Por mais que os discursos defendam a mobilidade sustentável, o orçamento segue priorizando o insustentável.

Para que este plano de ciclomobilidade seja de fato implementado, cabe a nós cidadãos acompanharmos as decisões e cobrar o governo que as promessas apresentadas hoje sejam de fato cumpridas.

Quer saber mais sobre o plano?

Zoneamento Econômico e Ecológico do DF será debatido entre os dias 25 e 31 de outubro

Consultas públicas discutirão texto que regulamenta e estabelece critérios para os zoneamentos

 A coordenação técnica e política do Zoneamento Econômico e Ecológico do Distrito Federal (ZEE-DF) irá promover três consultas públicas durante o mês de outubro, para discutir o anteprojeto de lei que trata do ZEE-DF. Os encontros serão em Sobradinho, Samambaia e Plano Piloto, sempre a noite. O objetivo dos encontros é esclarecer a população e arrecadar subsídios para o aprimoramento do texto, que futuramente será encaminhado à Câmara Legislativa.

O ZEE faz parte de um conjunto de quatro leis – Lei de Uso e Ocupação do Solo, Planos de Desenvolvimentos Locais e Plano de Preservação do Conjunto Urbanístico de Brasília – que amparam o PDOT. É a boa elaboração e seguimento dessas leis que podem garantir a qualidade de vida urbana da população, regrando a interferência de interesses econômicos nas condições de vida dos moradores do DF.

O texto disponível traz um conjunto de planos e mapeamento de vocações de grandes zonas territoriais.  Segundo a proposta, o ZEE define duas grandes zonas com critérios distintos para a gestão territorial: (i) o desenvolvimento econômico e (ii) a preservação e redução de riscos ambientais. Essas zonas são repartidas em 13 subzonas, de acordo com a necessidade de preservação dos recursos hídricos ou a prioridade para o desenvolvimento econômico.pol

O ZEE, quando entrar em vigor, irá oferecer critérios e meios para que governo, empresários, agricultores, ambientalistas, investidores e sociedade civil observem os riscos ecológicos, os potenciais produtivos e econômicos e as condições sociais na ocupação do território pela população.

Segundo a Lei Orgânica do Distrito Federal, o ZEE já deveria ter sido aprovado em 1995. Na ausência da elaboração e aprovação do ZEE, o Ministério Público do DF o colocou como um dos compromissos assumidos pelo governo local no Termo de Ajustamento de Conduta 02/2007, que tratava da regularização dos condomínios e da ocupação urbana do Distrito Federal.

A principal discussão no debate atual do ZEE irá girar em torno da promoção do desenvolvimento social com redução de desigualdades sem que isso afete o meio ambiente, ou seja, crescimento econômico sustentável voltado para a população do Distrito Federal.

Fique de olho nas datas e locais das Consultas Públicas Presenciais e participe!

Data: 25/10/2016 (terça-feira)
Horário: das 19h às 22h
Cidade: Sobradinho
Local: Auditório do colégio La Salle
Endereço: Quadra 14, Área Especial, Lotes 24 a 27

Data: 26/10/2016 (quarta-feira)
Horário: das 19h às 22h
Cidade: Samambaia
Local: Auditório do Sest/Senat
Endereço: Quadra 420, Conjunto 08, Lote 01 – Subcentro/Leste – Complexo de Furnas

Data: 31/10/2016 (segunda-feira)
Horário: das 19h às 22h
Cidade: Plano Piloto
Local: Auditório do CREA-DF
Endereço: SGAS, Quadra 901, Conjunto D

A coordenação política do ZEE-DF é integrada pela Casa Civil, secretarias de Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplag); Meio Ambiente (Sema); Gestão Territorial e Habitação (Segeth); Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (Seagri); de Economia e Desenvolvimento Sustentável (SEDS); de Mobilidade (Semob); e de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI).

Para saber mais sobre o texto que irá auxiliar o debate, clique aqui. Para consultar presencialmente os documentos técnicos  compareça a sede da Sema-DF no endereço SEPN 511, Bloco C, Ed. Bittar.

Mais informações:
E-mail: [email protected]
Telefone: (61) 3214 – 5611
logo_zee