Águas Claras terá 2ª Consulta Pública para debater ciclovias

Dia 9/12 haverá nova consulta pública em Águas Claras para debater a implantação do projeto Mobilidade Ativa das Estações do Metrô. É muito importante a participação social nesses encontros.

A reunião ocorrerá nas instalações do Colégio La Salle, Quadra 301, às 19:30. Existem alguns questionamentos a respeito do projeto e vamos aqui esclarecer alguns deles:

1 – A ciclovia vai atrapalhar o trânsito da Araucárias?

Pra início de conversa, a implementação da ciclovia na Avenida Araucárias não irá reduzir o número de faixas destinadas aos automóveis. A capacidade da via não será alterada. Haverá apenas o ordenamento dos estacionamentos irregulares nas laterais da via, que prejudicam a fluidez do tráfego. Vale notar ainda que nas vias das cidades que implantaram ciclovias, como em São Paulo e Nova Iorque, houve redução nos congestionamentos de 6% a 35%. Dessa forma, o incentivo ao uso da bicicleta ajuda a melhorar o trânsito.

2- Não seria melhor fazer a ciclovia nas bulevares?

A pessoa que caminha ou utiliza a bicicleta para se deslocar pela cidade precisa ter o direito de acessar toda a cidade, seja para ir ao trabalho, fazer compras ou ir a faculdade. Por isso, o projeto da malha cicloviária de Águas Claras conta com vias cicláveis tanto na Araucárias e na Castanheiras, como nas bulevares. Isso garante o deslocamento com segurança, inclusive nas Avenidas, onde se localiza a maioria dos comércios e das residências e onde ocorre hoje a maior parte dos acidentes.

3- A ciclovia não deveria ser feita onde já é mais seguro?

Errado. São nas vias mais perigosas que é mais importante colocar ciclovia! Se quisermos preservar a vida no trânsito, devemos fazer ciclovias nos locais de maior fluxo e onde ocorre o maior número de ocorrências. De acordo com os dados do DETRAN, as Avenidas Castanheiras e Auraucárias estão entre as 3 mais arriscadas de Águas Claras. Entre 2005 e 2014 ocorreram 30 acidentes envolvendo ciclistas apenas nessas avenidas, enquanto que nas bulevares foram apenas 2 casos, 15 vezes menos que nas principais.

Veja o gráfico abaixo, que apresenta a necessidade de estrutura cicloviária de acordo com as condições de tráfego e velocidade da via. Quanto maior o tráfego de automóveis na via e maior a velocidade, mais necessária se torna implantação de ciclovia/ciclofaixa.

velocidade_tráfego

4. E as calçadas?
É importante lembrar que a responsabilidade sobre as calçadas é dos lotes lindeiros. Portanto, de modo a incentivar a mobilidade ativa, ou seja, pedestres e ciclistas, em paralelo ao projeto da malha cicloviária, a AGEFIS já começou a notificar os condomínios cujas calçadas estão inadequadas, para que ocorra a adequação necessária.

5. Mas ninguém usa bicicleta em Águas Claras
Essa afirmação não é verdade. Acontece que quando circulamos de carro pela cidade muitas vezes não percebemos a presença de ciclistas pelas ruas. Porém, em um dia de contagem em dois cruzamentos da Rua das Pitangueiras, foram registrados 262 ciclistas, muitos eram adolescentes que vão para a escola de bicicleta e precisam de segurança no caminho. E o uso de bicicleta vem crescendo… Só o projeto Bike Anjo ensinou mais de mil pessoas a pedalar no DF, gente de todas as idades interessada principalmente em adotar a bicicleta como meio de transporte. Nenhuma cidade no mundo conseguiu resolver seus problemas de descolamento sem investir em infraestrutura para ciclistas e pedestres e transporte público.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *