Arquivo mensais:novembro 2015

Pontes para pedestres e ciclistas #bikenaponte

Travessia de bicicletas pela água chama a atenção para descaso com ciclistas e pedestres nas pontes de Brasília
Projeto do Trevo de Triagem Norte prevê caminho até 78% maior para quem não está de carro
bikenaágua

Bicicletas em cima de caiaques e pranchas de SUP atravessaram o Lago Paranoá hoje pela manhã para mostrar que as pontes de Brasília não pensam nos pedestres e ciclistas. A intervenção da ONG Rodas da Paz contou ainda com uma faixa estendida na ponte do Bragueto – sob a qual foi realizada a ação – pedindo “Pontes para pedestres e ciclistas”. Também foi divulgado um estudo que propõe uma travessia mais humana do local.

A Rodas da Paz chama a atenção para o projeto do Trevo de Triagem Norte (TTN), cujas obras incluem a ponte do Bragueto. A entidade apresenta uma reavaliação do projeto para tornar o local acessível para pedestres e veículos não motorizados.

O projeto licitado do TTN não leva em consideração as diretrizes básicas da política nacional de mobilidade urbana, priorizando o transporte individual motorizado em detrimento do não motorizado ou coletivo, como destaca o relatório divulgado pela ONG.Como consequência, as rotas para quem não vai de carro chegam a ser 78% maior. Além de maior, a rota é descontínua e não há previsão de calçadas, fazendo com que pedestres e ciclistas tenham que compartilhar a ciclovia. Analisando-se os caminhos feitos pelos pedestres atualmente, percebe-se ainda que a estrutura proposta não coincide com a real necessidade de deslocamentos. O descaso com quem vai a pé, por veículos não motorizados ou de transporte coletivo é visível mesmo na maquete virtual do projeto, em que estes sequer aparecem.

ponte

Como solução para a humanização, a Rodas da Paz propõe diretrizes como transposições seguras e eficientes do Eixo Rodoviário Norte e da DF-007 (Estrada Parque Torto – EPTT)e requalificação do entorno das rodovias. Para isso propõe a inclusão de uma infraestrutura para ciclistas e pedestres, com acessibilidade, sinalização semafórica e redução dos limites de velocidade para 40 ou 50 km/h dependendo da localidade.

ponte_solucao

As falhas do projeto do TTN são visíveis quando se leva em conta o planejamento de uma cidade mais humana. Por isso, integrantes da Rodas da Paz fizeram a travessia do Calçadão da Asa Norte, ao final da L2 Norte até o Lago Norte remando, com as bicicletas deitas sobre os caiaques e de pé sobre as pranchas de SUP.

A intervenção é bem-humorada, mas a situação é séria. O descaso com pedestres e ciclistas não pode ser a regra.

Você viajaria a pé ou de bicicleta até Paris? Eles foram, e estão levando o planeta.

passeio pnud

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD Brasil) e a ONG Rodas da Paz convidam para o ato ciclístico “Pedale pelo Clima”, a realizar-se no Parque da Cidade Sarah Kubitschek no próximo dia 28 a partir das 9h. O passeio ciclístico, de caráter simbólico, visa à conscientização sobre a mudança global do clima.

O ato é inspirado pela campanha #PoleToParis, iniciativa de dois jovens cientistas ambientais que saíram das suas cidades a pé e de bicicleta para chamar a atenção para um dos acontecimentos mais importantes do século: a mudança global do clima.

O Dr. Daniel Price partiu de Brisbane, na Austrália, em uma bicicleta. Já o Dr. Erlend Knudsen saiu de Tromsø, na Noruega, e realiza seu percurso correndo. Ambos tem um ponto de chegada em comum: Paris na França, onde acontece a conferência sobre mudanças climáticas que definirá este tema pelos próximos 15 anos, a COP21.

A distância percorrida equivale à metade da circunferência da Terra e, ao longo do percurso, estão reunindo depoimentos.  Saiba mais no site do PNUD Brasil.

Brasília também vai mandar o seu recado para a COP 21.

Venha participar com a gente e o PNUD Brasil.

Estamos muito honrados com o convite para participar desse ato simbólico. Pedalamos por um mundo com clima mais humano, menos CO2, mais saúde, menos doenças respiratórias, menos stress e violência.

Confirme você e a sua bike no evento do Facebook e traga todo mundo.

Ato ciclístico Pedale pelo Clima
Parque da Cidade Sarah Kubitschek, Estacionamento 12
Sábado, 28 de novembro de 2015
Concentração às 8h30

Moradores de Águas Claras criam abaixo assinado online cobrando ciclovias

Moradores de Águas Claras criaram abaixo assinado online cobrando da Administração Regional de Águas Claras, da Deputada Distrital Telma Rufino e da Secretaria de Gestão Territorial e Habitação a implantação ainda este ano do projeto Mobilidade Ativa.

O projeto Mobilidade Ativa coloca a Política Nacional de Mobilidade Urbana em prática, dando prioridade para o deslocamento de pedestres e ciclistas e facilitando o acesso ao transporte coletivo dentro dos bairros. O estudo que deu base para o projeto partiu da análise da área de alcance para 5, 10 e 15 minutos de deslocamento a pé e em bicicleta a partir das estações de metrô e dos pólos geradores de tráfego de Águas Claras, conforme imagem abaixo:

bicicleta_AC_segeth

O projeto foi apresentado e discutido com a comunidade por diversas ocasiões. Em 15/7, a SEGETH apresentou o projeto em parceria com a SEMOB na oficina colaborativa de mapeamento de ciclorrotas. Posteriormente, foi feita uma vistoria aberta nos locais que receberão a infraestrutura cicloviária. Em seguida, o projeto já melhorado foi então apresentado em reunião pública à comunidade de Águas Claras no dia 27/8 no Colégio La Salle.

11904646_842390162477101_7276928975418032813_n

Ainda houve duas reuniões na própria Administração Regional de Águas Claras para se tirar mais dúvidas a respeito do projeto, a última tendo ocorrido dia 16/11 a pedido da AMAAC, com a presença de deputada distrital Telma Rufino e o novo administrador, Manoel Valdeci.

Para se ter mais informações sobre o volume e o perfil das pessoas que se deslocam de bicicleta pela região, a Rodas da Paz organizou uma contagem de ciclistas em dois pontos centrais de Águas Claras. Mesmo sem nenhum incentivo, circulam atualmente mais de 260 ciclistas em apenas um dia pelos cruzamentos da Rua das Pitangueiras com a Boulevard Sul e da Rua das Pitangueiras com a Avenida das Araucárias. Os dados detalhados da contagem você encontra neste relatório.

Esta contagem nos permite ter um indicador para se mensurar a evolução do volume de pessoas utilizando a bicicleta no mesmo local após a implementação do projeto. Contagens de ciclistas em São Paulo mostraram grande crescimento de ciclistas nos locais observados já no primeiro ano após a implantação de ciclovias.

Assine o abaixo assinado, compartilhe e ajude a tirar esse projeto do papel!

Assine aqui!

Mutirão de plantio de mudas acontece nas ciclovias do DF dia 21/nov

Dia 21 de novembro várias ciclovias do DF ganharão mudas de árvores. As ciclovias de Samambaia Sul, Setor O, Guará II e a W5 Norte receberão plantinhas que no futuro ajudarão a fazer sombra no caminho de quem utiliza a bicicleta para se deslocar.

As mudas fazem parte do projeto Virada do Cerrado e acontece em parceria com a Secretaria de Meio Ambiente do GDF e com as Administrações Regionais.

Confira os locais de plantio e a pessoa responsável por cada ciclovia para participar a ajudar no mutirão! Teremos adubo, mudas e muita simpatia, mas precisamos de ferramentas emprestadas! Traga as suas!

Ciclovia W5 norte
Contato: Sabrina e Felipe
Ponto de encontro: Igreja São Francisco de Assis (914N) 9h
[email protected]
8242-0846

Ciclovia Ceilândia Setor O
Contato: Hugo Souza
Ponto de encontro: Potiguar 9h
[email protected]
8547-3917

Ciclovia Samambaia Sul
Contato: Alexandre Ferretti
Ponto de encontro: Supermercado SuperBom (106) 9h
[email protected]
9860-5025 

Ciclovia Guará II
Contato: Daiane Jordão
Ponto de encontro: Praça da QE 15 9h
[email protected]
8233-8205

Convite da Rodas da Paz para o plantio de mudas no youtube:

Veja a programação de plantio de mudas em outros pontos do DF aqui.

Ameciclo promove campanha para lançamento de livro infantil

capa-dropshadow

A Ameciclo – Associação Metropolitana de Ciclistas do Grande Recife, em parceria com o Fluxo Studio, está promovendo uma campanha de arrecadação de fundos para o lançamento do livro infantil “Bicicleta Amarela”.

Além de promover a cultura da bicicleta como meio de transporte, a publicação pretende contribuir para um futuro mais conectado com novas alternativas para a mobilidade urbana, mostrando como a bicicleta pode transformar as cidades.

O livro já está escrito e uma parte das ilustrações já estão prontas. Os recursos do financiamento coletivo serão utilizados para finalizar os desenhos, imprimir e fazer a distribuição do livro.

A campanha está disponível no catarse para contribuição até o dia 28/12/2015 e oferece vários níveis de recompensas, individuais ou coletivas (para associações, grupo de ciclistas ou empresas). A Rodas da Paz é uma das organizações que apoiam o projeto!

Para conhecer as formas de recompensa e contribuir, é só acessar acessar: https://www.catarse.me/bicicletaamarela

Fica pronto galpão que receberá bicicletas doadas para o projeto “Doe Bicicleta”

1

Início das obras no galpão

2

Galpão pronto

 

 

 

 

 

 

3

Mais de 150 bicicletas já foram coletadas este ano

Há mais de 10 anos, a Rodas da Paz promove o projeto “Doe Bicicleta”. Por meio da campanha, realizamos anualmente a coleta e o conserto de bicicletas novas e usadas, que são encaminhadas para doação. Até hoje, cerca de 5 mil bicicletas já passaram pelo projeto.

No final de 2014, realizamos uma campanha de financiamento coletivo (crowdfunding) para levantarmos recursos para a realização de mais uma importante fase do projeto: construir um galpão para abrigar as bicicletas doadas ao longo do ano. Com o apoio de pessoas e empresas que acreditaram na sua importância, conseguimos arrecadar R$4.410 que viabilizaram a construção do galpão, localizado em Vicente Pires. Em breve realizaremos a inauguração oficial.

Em 2015 já temos mais de 150 bicicletas coletadas. Também fechamos parceria com o Grupo de Escoteiros Moraes Antas e com a Ecocâmara, garantindo mais um ponto de coleta. Agora que a chuva começou, as bicicletas ficarão protegidas enquanto adquirimos as peças e realizamos os consertos. Logo elas estarão circulando por todo o DF!