Arquivo mensais:Maio 2015

Secretaria de Mobilidade mapeia ciclovias existentes com apoio de ciclistas dia 30

A Secretaria de Mobilidade do Distrito Federal​ divulgou documento com as instruções para o mapeamento colaborativo das ciclovias do DF, previsto para iniciar no sábado (30/05).

A intenção inicial é a de identificar as ciclovias existentes, já que não há dado oficial confiável sobre a extensão da malha cicloviária do DF. O mapeamento de rotas cicláveis, sugerido na reunião com os usuários de bicicletas, ficou para ser realizado em um outro momento.

A SEMOB/DF deve ainda fornecer tutoriais para alguns aplicativos de registro das rotas no smartphone, que gerem arquivo no formato .kml ou .gpx. No encontro da oficina colaborativa, foi sugerido por diversos ciclistas adotar a mesma ferramenta utilizada no mapa cicloviário do Rio e de São Paulo, o Mapillary associado ao OpenStreetMap. Tanto o Rio como São Paulo incorporam tanto ciclovias como as ciclorrotas em seus mapeamentos. A iniciativa do Rio de Janeiro virou inclusive um aplicativo para celular.

Sugerimos que os itens a serem observados no mapeamento sirvam para mais que um plano de manutenção “tapa buraco”, e sirvam para readequação dos projetos de conexão e interligação. A falta de iluminação pública, as travessias com preferência para os carros, conflitos com pedestres, rampas com desnível irregular também merecem registro.

Os arquivos .KML ou .GPX e links de mapas gerados devem ser enviados para [email protected]

Acesse o documento orientador da SEMOB para o mapeamento.

O DF já conta com um mapa colaborativo de bicicletários e paraciclos, veja aqui.

SEMOB chama ciclistas para mapear as ciclovias do DF

Na noite da última sexta-feira (15/05), a Secretaria de Estado de Mobilidade – SEMOB reuniu ciclistas para pedir apoio no mapeamento das ciclovias do Distrito Federal. Os primeiros meses da Secretaria foram dedicados ao levantamento de informações produzidas pelos governos anteriores — dados esses que se encontravam pulverizados. “A gente sentiu que já tinha um fôlego para começar esta conversa”, explicou Cecília Martins, Coordenadora de Sustentabilidade da Subsecretaria de Políticas e Projetos de Mobilidade da SEMOB. O compromisso é de que o encontro da semana passada seja o primeiro de muitos.

Cecília Martins

Apresentação de Cecília Martins, Coordenadora de Sustentabilidade da Subsecretaria de Políticas e Projetos de Mobilidade da SEMOB.

Um dos objetivos do órgão é introduzir a bicicleta de forma integrada aos meios de transporte do DF. Com esta finalidade, deve oferecer infraestrutura para este modal, sensibilizar a população para a mobilidade sustentável e para o uso consciente do carro, e aprimorar o sistema de bicicletas públicas. Contudo, para cumprir o objetivo, a SEMOB necessita de um mapa das ciclovias do DF. Atualmente, os números são desencontrados, argumentou o Subsecretário, José de Ribamar Rocha de Goés. Afinal, as fontes de informação são diversas, uma vez que a ação não era unificada entre os órgãos públicos envolvidos na política cicloviária.

Os projetos executivos das ciclovias implementadas serão analisados tecnicamente por empresa a ser licitada. A SEMOB, no entanto, pediu a colaboração dos ciclistas para obter o olhar da realidade de quem utiliza a bicicleta cotidianamente. Os ciclistas conhecem as deficiências do sistema. “A maioria das ciclovias dentro de Brasília ligam nada a lugar nenhum”, apontou Fernando Felipe, morador de Taguatinga.

O mapa georreferenciado das ciclovias executadas será elaborado com a sistematização das informações captadas pelos ciclistas através de aplicativos de celular que fazem o registro das rotas utilizando o GPS. A SEMOB se comprometeu a elaborar um tutorial para os voluntários e um formulário para padronização dos dados. Os ciclistas poderão registrar as rotas e tirar fotografias, identificando as interrupções e avarias nas ciclovias.

Renata Florentino

Renata Florentino, Coordenadora Geral da Rodas da Paz, dialoga com outros ciclistas.

A Coordenadora Geral da Rodas da Paz, Renata Florentino, apontou a importância de ultrapassar a ideia de um plano de manutenção da malha cicloviária. A sugestão é propor medidas de planejamento dos projetos, como previsão de iluminação e correção da sinalização das travessias, hoje inadequada. Para que esse mapeamento venha a ter maior utilidade para quem visa optar pelo uso da bicicleta, sugeriu-se que sejam incluídas rotas cicláveis seguras tradicionalmente feitas por quem pedala, assim como todas as vias do DF com limite de até 50km/h, não se limitando às ciclovias – já que estas não permitem acessar os principais pontos do DF.

O dia 23/05, em referência à Campanha Maio Amarelo, é a data oficial para o início da coleta de dados do mapeamento. Os ciclistas devem partir às 8h30 de diferentes partes do Distrito Federal. Dúvidas: [email protected]

fotos: Gil Amaro

fotos: Gil Amaro

Audiência pública debate o futuro da mobilidade em Brasília e prioriza o levantamento de dados e o planejamento

A visão do futuro da mobilidade na cidade e a preocupação com as próximas gerações foi tema predominante na audiência pública intitulada “Mobilidade e Sustentabilidade: desafios e propostas”, que ocorreu ontem (14/05) no Plenário da Câmara Legislativa do Distrito Federal. O conselheiro da Rodas da Paz, Pérsio Davison, enfatizou a relevância de se realizar pesquisas a respeito da mobilidade, em especial sobre as necessidades e desejos de origens e destinos dos usuários da bicicleta. Por sua vez, o diretor executivo da Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos – ANPTrilhos, Rodrigo Vilaça, entregou aos gestores da mesa uma agenda de políticas públicas para o sistema metroferroviário com orientações até 2018.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA sustentabilidade procura satisfazer as necessidades do presente sem comprometer a capacidade das gerações futuras de fazerem o mesmo, relembrou o deputado distrital Chico Leite. As cidades sustentáveis, então, devem considerar a produção humana e também a condição de vida das pessoas. No Distrito Federal, no entanto, a mobilidade é um problema maior e mais visível, pois há uma preferência pelo veículo motorizado e individual, em detrimento do transporte coletivo. O deputado defendeu a importância de descentralizar as oportunidades de emprego para também diminuir os fluxos do tráfego. Afinal, visando a sustentabilidade, deve-se encorajar os meios de transporte menos poluentes.

O diretor-presidente do Metrô-DF, Marcelo Dourado, calculou que, atualmente, o metrô tem a capacidade de deslocar 28 mil pessoas em 1 hora, enquanto o BRT Expresso DF não chega a 5% deste montante. O ônibus ainda tem a desvantagem da queima de combustível fóssil, responsável pelo aquecimento global, restringido as oportunidades das próximas gerações. Porém, de acordo com Vilaça, existem apenas 521 estações de metrô no Brasil, quantidade menor do que todos os pontos de ônibus no DF. Apesar do número reduzido, considerando a economia de tempo de deslocamento, combustível, emissão de poluentes e número de acidentes, o metrô gera a economia de aproximadamente 20 bilhões de reais.

O deputado Wasny de Roure fez uma intervenção no debate para apresentar a ideia de que, nas estações de metrô, sejam alugados espaços para serviços e instaladas bibliotecas. Argumentando que a autoestima e a identidade da população estão conectadas a sua historicidade e patrimônio, o deputado também sugeriu placas sobre marcos importantes ocorridos nos arredores da estação.

OLYMPUS DIGITAL CAMERARecordando que o uso da bicicleta é sinônimo de convivência, Pérsio Davison apresentou dados do Relatório de Resultados da Avaliação do Serviço do Metrô DF 2014. O conselheiro da Rodas demandou estrutura para estimular a integração entre a bicicleta e o metrô, como sinalização e espaço para estacionar as bikes. Na época da construção da capital, Brasília tinha o potencial do futuro, explicou Pérsio Davison. Atualmente ela enfrenta os mesmo problemas de outras cidades. “Nós temos que nos rever enquanto política de mobilidade e assumir o desafio que a cidade já teve de ser desenvolvida para o futuro”, sustentou Davison.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO resgate da capacidade de planejamento do governo foi a tônica da apresentação do secretário de Mobilidade, Carlos Tomé. Ele convidou à reflexão sobre a cidade que queremos. Tomé identificou um círculo vicioso no DF: o transporte coletivo é deficiente, levando as pessoas a optarem pelo uso do automóvel, cuja a quantidade na rua dificulta o trânsito, tornado o transporte coletivo pior. O secretário sustentou a opção pelo transporte não motorizado e pelo coletivo favorecendo o uso de trilhos, mas também com a utilização de ônibus. Residualmente, haveria o automóvel somente para casos de necessidade.

Como encaminhamento, Chico Leite sugeriu que a SEMOB e o Metrô identifiquem e divulguem seus objetivos de curto, médio e longo prazo, bem como metas de serviço com indicadores pré-estabelecidos para avaliação. Ao final O deputado também entregou ao Carlos Tomé a lei nº 5220/2013 que prevê a fixação de quadro informativo nas paradas de ônibus com informações sobre as linhas deste transporte, os valores das passagens e os horários das viagens.

Vídeos de campanhas educativas sobre bicicletas

Quer um videozinho curto para passar pros amigos, que mostre como lidar com ciclistas no trânsito? Fizemos uma seleção aqui de boas peças brasileiras veiculadas por prefeituras em suas campanhas educativas. Tomara que os vídeos inspirem seus colegas e também o GDF a produzir uma campanha nessa linha!

Perceba que todas as campanhas trabalham a relação entre motoristas e usuários de bicicleta, são peças que informam tanto o motorista sobre como se comportar (dar distância de 1,5m e reduzir a velocidade para ultrapassar), como o ciclista (pedalar no sentido da via e respeitar a sinalização de trânsito).

A maior parte dos comerciais é da Prefeitura de São Paulo, que fez uma boa campanha com insumos das entidades de ciclistas de lá. Mas, tem também material do Detran do Espírito Santo (vídeo em resposta às críticas  recebidas devido ao conteúdo de um vídeo anterior) e da Prefeitura de Curitiba.

Sabe de algum outro vídeo bacana? Posta aqui pra gente!

São Paulo-SP

Principal vídeo da campanha

Ultrapassagem:

Ocupar a faixa:

Atenção:

Vitória-ES:

Curitiba-PR:

E tem um vídeo tão legal, mas tão legal, que mesmo sem falar de bicicleta publicamos aqui!
Ele fala como usar a faixa de pedestre: o Passo da Faixinha, da Prefeitura de São José dos Campos-SP!

A qualidade da mensagem desses vídeos é superior ao que foi veiculado pelo GDF em 2014. Na campanha do DF, o ciclista é responsabilizado pela colisão com o carro, sem que seja oferecida nenhuma orientação educativa para os motoristas de automóveis sobre atenção aos mais fracos, redução da velocidade e preferência a pedestres e ciclistas. Veja aqui como era esse vídeo.

Estão abertas as inscrições para a III Turma de Voluntários da Rodas da Paz!

cartaz_2015

Você acha que dá pra fazer do DF um lugar mais seguro para andar a pé, de bike ou skate? Nós também. Ajude a Rodas da Paz a tornar nossa cidade um lugar mais humano e participe de nossa oficina de formação para voluntários. Dias 13 e 14 de junho vamos aprender sobre mobilidade urbana, políticas de incentivo a bicicleta, a realidade do DF e ainda vamos poder conhecer a experiência da ONG Ciclovida em Fortaleza. Inscrições até 5 de junho. Vagas limitadas.

Em 2013 fizemos nossa primeira oficina de formação de voluntários. Ganhamos pessoas incríveis, com as mais diversas habilidades, que nos ajudaram a fazer de 2013 um ano de reestruturação para a Rodas da Paz. Ficamos tão felizes com o resultado desse primeiro chamado de voluntários que resolvemos repetir essa oficina! Em 2014 ganhamos nossa segunda turma de voluntários e agora queremos cada vez mais gente conosco! =)


Cronograma:
Inscrições: até 5 de junho – Formulário aqui
Seleção: de 6 a 8 de junho
Contato com os participantes: de 8 a 10 de junho
Formação: 13 e 14 de junho


Turma de 2013

voluntarios

Turma de 2014

rodas

Livro A bicicleta no Brasil é lançado em Brasília

Para baixar o PDF do livro, acesse aqui!

Para adquirir um exemplar impresso, escreva para [email protected]

O livro “A bicicleta no Brasil”, que reúne informações sobre os usos e a cultura da bicicleta em 10 capitais brasileiras, foi lançado na quinta-feira (07/08) no Balaio Café em Brasília. A Rodas da Paz foi uma das organizações que levantou dados para a publicação. A obra resultou de parceria entre a associação Aliança Bike, a rede Bicicleta para Todos, a rede Bike Anjo e a União dos Ciclistas do Brasil – UCB, com o apoio do Itaú. No lançamento, o Professor da UnB Paulo Cesar Marques, doutor em estudos de transportes, explicou que a cultura da bicicleta vai além de pedalar. Esta cultura corresponde a um olhar sobre como é possível circular na cidade de modo mais democrático.

Fotos: Gil Amaro

livro livro_2 livro_bia livro_josi livro_pc livro_Recife

Rodas da Paz é agraciada no III Prêmio República

A Rodas da Paz recebeu menção honrosa do III Prêmio República na categoria Responsabilidade Social. No discurso emocionado de agradecimento, Jonas Bertucci, conselheiro da associação, dedicou o prêmio à Família Davison. A partir do sofrimento gerado pelo impacto da violência no trânsito, essa família se entregou à luta pela proteção da vida. Pedro Davison, biólogo, faleceu em 2006 após ser atropelado enquanto pedalava no Eixão.

A cerimônia, promovida pela Associação Nacional dos Procuradores da República – ANPR, ocorreu ontem (05/05) em Brasília. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, definiu o momento como um “evento que coroa a prática do bem-fazer”. O III Prêmio República de valorização do Ministério Público Federal recebeu inscrições de todo o Brasil. As iniciativas foram premiadas em 11 categorias — como “Meio Ambiente e Patrimônio Cultural”, “Combate à Corrupção”, “Direitos do Cidadão” e “Jornalismo” — e 5 menções honrosas foram distribuídas. A Rodas da Paz foi a única organização local entre as finalistas do Prêmio.

Conheça todos os premiados aqui.

premio república rodas

Rodas da Paz com o Presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República, Alexandre Camanho de Assis

IMG-20150505-WA0060

Equipe Rodas da Paz com equipe do Instituto Fiscalização e controle, vencedor da categoria Responsabilidade Social

IMG-20150505-WA0059

IMG-20150505-WA0064

Roberto Cabrini, vencedor da categoria Jornalismo TV, com adesivo da Rodas da Paz