Arquivo mensais:abril 2014

Como os brasilienses conquistaram sua faixa de pedestre?

Sabe como foi que Brasília virou a capital da faixa de pedestre?

O DF era conhecido pelo alto número de mortes e acidentes na década de 90. A partir de uma grande mobilização da sociedade esse cenário conseguiu ser transformado, e em 3 anos as mortes de pedestre caíram 50%.

Assista o documentário do jornalista Hércules Silva e conheça a história! O vídeo foi apresentado como monografia de conclusão de curso. No vídeo há depoimentos históricos, do idealizador da Faixa de Pedestre, coronel Renato Azevedo, do então governador de Brasília, Cristovam Buarque, do diretor do Detran, Luiz Miura e os jornalistas Ana Júlia Pinheiro e Alexandre Garcia também falam sobre a campanha.

O Coronel Azevedo aponta os fatores que foram fundamentais para esse sucesso, como a redução da velocidade média dos carros, a educação popular e a fiscalização.

Link: http://youtu.be/4hlBlz4tGtQ

paz_transito

Bicicleta e trilhos: integrando para ir mais longe

Esse é o título de uma das monografias apresentadas no semestre passado no curso de Ciências Ambientais da Universidade de Brasília. A integração bicicleta e transporte sobre trilhos como forma sustentável de se deslocar pela cidade é justificada pela complementaridade que os transportes apresentam: bicicleta em distâncias menores e trilhos para chegar mais longe. Foram pesquisadas 17 linhas brasileiras: 8 delas permitem a pessoa embarcar com bicicleta no trem ou metrô.

O Metrô do Distrito Federal é o único que permite o embarque da bicicleta em qualquer horário (Decreto nº 33.529/2012, que regulamenta a Lei Distrital n° 4.216/2008), mas em ocasiões diferentes, como greve, ele pode reduzir esse acesso.
Em seguida, vem o trem de superfície de Porto Alegre, por meio do programa Ciclista Trensurb, que permite o embarque nos dias úteis, fora dos horários de pico, além de sábados, domingos e feriados. Depois vêm o Metrô de São Paulo e o Metrô de Belo Horizonte, que possibilitam em dias úteis apenas a partir das 20h30, além de horários aos sábados, domingos e feriados. Por fim, as demais linhas que permitem só aceitam bicicletas aos sábados, domingos e feriados. São elas: Metrô de Recife, Metrô do Rio (tem inclusive bicicletários), Rio SuperVia e Trem de superfície de São Paulo.

Ainda é frisada na monografia a importância de se investir não só na infraestrutura em transportes sobre trilhos, calçadas adequadas e ciclovias bem feitas e sinalizadas, mas também na informação precisa e acessível (campanhas educativas, banners, comerciais de tv e rádio, sites). Assim, a integração será possível em mais cidades e ocorrerá plenamente!

Baixe aqui o trabalho na íntegra

*Talita Rocha é voluntária da Rodas e autora da monografia.

Bicicletaço no Senado

Na próxima segunda-feira (7), Dia Mundial da Saúde, um grupo de servidores e funcionários da Casa virá de bicicleta ao Senado. O objetivo é chamar a atenção para a necessidade de se adequar instalações e adaptar normas para estimular o uso da bicicleta como meio de transporte no dia a dia.

A iniciativa partiu de servidores que participam de um grupo de discussão sobre mobilidade no Senado, em parceria com o Programa Senado Verde e com o Núcleo de Coordenação de Ações Socioambientais. Entre as demandas estão a criação de paraciclos, reforma ou construção de vestiários e autorização para a circulação de pessoas com trajes de ciclismo.

O encontro será às 7h30, no Museu da República. De lá, o grupo virá pedalando até a Chapelaria. Quem quiser participar pode se inscrever pelo HTTP://bit.ly/BicicletaçoSF

Fonte: facebook

Passeio Sábado 08:30 PDCI

pdci

Dia 05.04, neste sábado às 8:30h, haverá um passeio ciclístico de inauguração do PDCI: o Programa de Desenvolvimento Comunitário Integral. A concentração será no
Parque Ecológico no Areal

Através de intervenções políticas sociais e assistenciais pretende-se colaborar com a comunidade do Areal. Dentro desse projeto vamos criar, dentro das possibilidades, a Escola de Ciclo-Cidadania, dentro do projeto Ciclomissão, desenvolvido pelo conselheiro da Rodas da Paz Wesley Moura.

Acontecerá um curso de mecânica em Bicicletas, que irá contar com o opoio da Revista Bicicleta, profissionais interessados nesse trabalho e talvez uma Bicicletaria Comunitária com o intuito de gerar renda pra própria comunidade da Vila Areal.

Mais informações:
[email protected]
61-9944-4217

Pré concentração em frente à ETB-Escola Técnica de Brasília no Areal, das 8h às 8:15h

Relator da MPV 628/2013 não inclui IPI zero para bicicletas

O Senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES), relator da Medida Provisória 628/2013 (conhecida como “MP do BNDES”), não acatou a Emenda 13 do Senador Inácio Arruda, que isentava bicicletas, suas partes e peças do Imposto sobre Produtos Industrializados – IPI.

Apesar de ter inicialmente acatado e defendido o IPI zero para bicicletas na primeira versão do relatório da Medida Provisória, o Senador Ferraço possivelmente sofreu pressões do próprio Governo Federal para retirar tal medida.

Quando soubemos que o IPI Zero para bicicletas não seria incluído, prontamente encaminhamos ofícios questionando o Senador sobre a repentina alteração. Foram ofícios da Rede Bicicleta para Todos, da UCB – União dos Ciclistas do Brasil, da Aliança Bike, da ABRADIBI e da ONG Rodas da Paz. Nenhum ofício foi, até o momento, respondido.

Soluções
Ainda temos a Medida Provisória 638/2014 (Inovar-Auto) com a Emenda 1 isentando bicicletas, partes e peças do IPI. Vamos apostar nela agora. Próximo passo é convencer o relator, o Deputado Gabriel Guimarães (PT-MG) a acatar a Emenda. Faremos uma pressão maior para que não tenhamos surpresas desagradáveis (como tivemos com o Senador Ferraço).

Audiências Públicas
Ontem foram aprovados dois requerimentos, um do Deputado José Stédile (PSB-RS), na Comissão de Finanças e Tributação, e outro do Deputado Felipe Bornier (PSD-RJ) na Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, solicitando audiências públicas para debater desoneração e acesso à bicicleta no Brasil. Não têm relação com as Medidas Provisórias, mas são ações importantes para que os projetos de lei PARADOS nas Comissões (especialmente na Comissão de Finanças) possam ter parecer favorável e seguir tramitando.

Abaixo-assinado
Ultrapassamos 95 mil assinaturas. Vamos chegar a 100 mil?!
assine aqui o abaixo assinado a favor do IPI Zero para Bicicleta.

Fonte: Rede Bicicleta para Todos.